ResisterPedro porém respondeu: – Senhor, estou pronto a ir contigo, tanto para a prisão como para a morte.

Mas Jesus lhe disse: – Afirmo-te, Pedro, que, hoje, três vezes negarás que me conheces, antes que o galo cante. Lc 22.33,34

Estamos começando aquilo que chamamos Semana Santa. Diz respeito à crucificação e ressurreição de Jesus, bem como todos os demais eventos que aconteceram nessa semana.

Um dos importantes eventos que aconteceram nessa semana, foi a instituição da Ceia do Senhor, e estando reunidos Jesus e seus discípulos, Jesus avisou a Pedro que ele não teria a resistência necessária para não negar que o conhecia. Conhecemos o final da história.

Karl Olsson, no livro Passion, conta a incrível história de resistência dos primeiros protestantes franceses, que eram chamados de Huguenotes. Destaca-se a história de Marie Durant:

No final do século XVII no sul da França, uma moça chamada Marie Durant foi levada diante das autoridades, acusada da heresia huguenote. Ela contava 14 anos, era inteligente, atraente e em idade para casar.

Foi-lhe pedida a renúncia da fé huguenote. Não se pediu a ela que cometesse um ato imoral, que se tornasse criminosa, nem mesmo que mudasse as qualidades diárias de comportamento. Só se pediu dela que dissesse: “J’abjure” – Abjuro. Nem mais, nem menos.

Ela não concordou. Com outras 30 mulheres huguenotes, foi colocada em uma torre perto do mar. Durante 38, TRINTA E OITO ANOS, ela perseverou.

E em vez da odiada expressão J’abjure, ela, com suas companheiras de martírio, rabiscaram na parede da torre-prisão a simples palavra: Resister – RESISTA!

A palavra ainda pode ser vista e é observada pelos turistas na parede de pedra de Aigues-Mortes.

Não entendemos a simplicidade aterradora de um compromisso religioso que não pede nada do tempo e não ganha nada do tempo. Muitas vezes conseguimos entender uma religião que potencializa o tempo, mas não conseguimos entender a fé não nutrida pela esperança temporal de que amanhã as coisas estarão melhores.

Ficar sentado em uma cela de prisão com mais trinta pessoas e ver o dia se transformar em noite, e o verão em outono, sentir as lentas mudanças do corpo (rugas, enrijecimento das juntas, adormecimento dos sentidos), – sentir tudo isso e ainda assim perseverar parece quase idiótico para uma geração sem a capacidade de esperar e resistir.

Pedro precisava ter lido o que aquelas mulheres escreveram: Résister!

E eu? E você? Quais são as propostas para que abdiquemos de valores e princípios cristãos? Résister!

Jesus, naquela sua última semana na terra, resistiu a ponto de recusar a proposta para que descesse da cruz. Foi até o fim. Até poder dizer: Está Consumado!

RÉSISTER!

Rev.  Jônatas