Estas palavras contêm o mandamento de Deus para o crente quando este é levado a dificuldades extraordinárias. Ele não pode retroceder, nem seguir adiante. Está encerrado pela direita e pela esquerda. O que deve fazer agora? A mensagem do Senhor para esse crente é: “Aquieta-te”. Será ótimo para ele se, em tais ocasiões, ouvir tão-somente a voz do Senhor, visto que surgem outros e maus conselheiros com suas proposições. O desespero sussurra: “Deite-se e morra; desista de tudo”. No entanto, Deus almeja que andemos corajosa e alegremente, mesmo em nossos piores momentos, e nos regozijemos em seu amor e fidelidade. A covardia grita: “Retroceda, volte atrás, ao modo de agir do mundo. Você não pode viver como um crente. É muito difícil. Abandone seus princípios”. Não importa o quanto Satanás tente incitá-lo a seguir esse modo de viver, você não pode segui-lo, se é um verdadeiro filho de Deus. Sua ordem divina lhe tem dito para ir “de força em força” (Salmos 84. 7), e assim você irá, e nem morte ou inferno lhe desviará de seu curso. Se você é chamado a permanecer quieto por algum tempo, esta chamada lhe renovará as forças para um avanço maior no devido tempo. A pressa clama: “Faça alguma coisa. Mexa-se, porque permanecer quieto e esperar é indolência”. Devemos agir imediatamente. Devemos agir, é o que pensamos, ao invés de olhar para o Senhor, que não somente fará algo e sim, tudo. A presunção se vangloria: “Se o mar está diante de você, marche nele e espere um milagre”. Mas a fé não dá ouvidos à presunção, ao desespero, à covardia ou à pressa. A fé ouve a voz de Deus: “Aquiete-se”, mantendo-se inabalável como uma rocha.

“Aquiete-se” -mantenha a postura de um homem ereto: pronto a agir, esperando novas ordens, enquanto aguarda com alegria e paciência a voz que o orienta. Em breve, Deus lhe dirá, tão claramente quanto Moisés falou ao povo de Israel: “Marchem” (Êxodo 14. 15).

Charles Spurgeon