Os judeus pedem sinais milagrosos, e os gregos procuram sabedoria; nós, porém, pregamos a Cristo crucificado, o qual, de fato, é escândalo para os judeus e loucura para os gentios, mas para os que foram chamados, tanto judeus como gregos, Cristo é o poder de Deus e a sabedoria de Deus.

Porque a loucura de Deus é mais sábia que a sabedoria humana, e a fraqueza de Deus é mais forte que a força do homem. 1 Co 1.22-25

O filósofo grego Pitágoras categorizou os homens em três classes:

  1. Aqueles que buscam conhecimento.
  2. Aqueles que buscam honra.
  3. Aqueles que buscam ganho.

Pergunto-me porque ele fracassou ao deixar de notar outras duas classes. Queremos acrescentá-las à lista:

  1. Aqueles que nada buscam.

Estes são vegetais humanos, que vivem conforme sua fisiologia e seus instintos. Refiro-me aos milhões de pessoas normais que permitiram que seu magnífico equipamento intelectual definhasse devido à falta de exercício. Seu material de leitura é a página esportiva e a seção de histórias em quadrinhos; sua música é tudo o que é popular, cômodo – e barulhento!

 

  1. Aqueles que buscam a Deus.

Estou pensando em pessoas que são almas sedentas de Deus, ainda que não sejam um grande número. Por natureza, não são melhores do que o resto da humanidade, e, na prática, foram algumas vezes até piores. O sinal específico de sua eleição divina é sua sede insaciável pela Fonte de sua existência.

Graças ao Senhor por aqueles que buscam a Deus; os destinos deles estão nas mãos daquele que deu Seu único Filho para morrer pela vida do mundo!

Que sua oração seja:

Amado Senhor, quero ser conhecido entre minha família e meus amigos como alguém que busca a Deus. Meu destino pertence a ti, ó Senhor.

Adaptado de A.W.Tozer