“ALGUNS DE NÓS PARECEMOS TÃO ANSIOSOS EM FUGIR DO INFERNO QUE NOS ESQUECEMOS DE CELEBRAR A NOSSA VIAGEM PARA O CÉU”.

’Há muitos anos, cheguei à conclusão de que as duas causas principais da maioria dos problemas emocionais entre os cristãos evangélicos são estas: o fracasso em entender, receber e viver a graça e o perdão incondicionais de Deus; e o fracasso de distribuir esse amor, perdão e graça aos outros… Nós lemos, ouvimos, cremos em uma boa teologia da graça. Mas não é assim que vivemos. As boas novas do evangelho da graça não penetram no nível de nossas emoções’. (David Seamands)

Philip Yancey no livro Maravilhosa Graça, afirma que o mundo pode fazer quase tudo tão bem ou melhor do que a igreja. Não é preciso ser cristão para construir casas, alimentar os famintos ou curar enfermos. Há apenas uma coisa que o mundo não pode fazer. Ele não pode oferecer graça. Onde mais o mundo poderia ir para encontrar graça, senão na igreja?

Philip Yancey ainda diz: Eu acho que, de fato, todos vão a igreja por uma razão – fome da graça. Quando olho para a minha própria peregrinação, marcada por erros, desvios e becos sem saída, vejo agora que aquilo que me impulsionava era minha busca da graça. Rejeitei a igreja durante algum tempo porque encontrei bem pouca graça ali. Voltei porque não descobri graça em nenhum outro lugar.

O que é graça, afinal? Um presente que custa tudo para o doador e nada para o que recebeu. É isto que Deus oferece.

‘Todos nós fomos informados de que a graça deve ser buscada no universo. Mas em nossa loucura humana e nossa visão reduzida imaginamos que a graça divina seja finita… Porém, chega o momento em que nossos olhos são abertos, e vemos e entendemos que a graça é infinita. A graça, meus amigos, não exige nada de nós a não ser que a aguardemos com confiança e a reconheçamos com gratidão’. (filme A Festa de Babette).”

Estes pensamentos sobre GRAÇA, devem nos levar à reflexão sobre como nós a manifestamos a favor dos outros. Como igreja, precisamos recebê-la da parte de Deus e de irmãos para, logo em seguida, sermos canais da mesma graça para aqueles que ainda não a experimentaram.

Seja cheio da graça de Deus. Só assim você vai poder viver em comunhão e partilhar da graça recebida do Eterno.

Rev. Jônatas